Paróquias tomam consciência da própria realidade

O Cardeal Scherer afirmou que os resultados da pesquisa como parte do processo do Sínodo Arquidiocesano são reveladores e confirmam “a necessidade de uma nova evangelização”


     Nos meses de agosto e setembro de 2018, houve um inédito levantamento de campo sobre a realidade religiosa e pastoral dos habitantes da cidade. Os 300 pesquisadores voluntários do Sínodo visitaram os domicílios das 295 paróquias territoriais da Arquidiocese para saber como os católicos vivem sua fé e qual a percepção que têm a respeito da presença e atuação da Igreja em seu bairro. Ao mesmo tempo, foi feito um levantamento interno da realidade paroquial, com informações sobre a organização pastoral.

     O Cardeal Scherer afirmou que os resultados da pesquisa são reveladores e confirmam a necessidade de uma nova evangelização. “É preciso passar das discussões intelectuais feitas em âmbitos da hierarquia eclesial ou de certos espaços de reflexão acadêmica para uma nova atitude na práxis eclesial, que chegue às bases da Igreja, lá onde ela aparece como comunidade de pessoas animadas pela fé, esperança e caridade, reunidas em torno de Jesus Cristo, mediante a Palavra de Deus, a Eucaristia e os demais sinais sacramentais que a identificam e expressam”, declarou. 

     A segunda fase do caminho sinodal, em 2019, acontecerá no âmbito das regiões episcopais e vicariatos ambientais. A abertura dessa etapa será em 30 de março, em cada região. 

     A Comissão de Coordenação Geral do Sínodo já elaborou o regulamento das assembleias regionais  e agora prepara a redação do instrumento de trabalho das reuniões. 

     As assembleias serão realizadas em quatro sessões com os objetivos de avaliar e refletir sobre a vida e a missão da Igreja nos vicariatos, a partir dos relatórios das paróquias e realidades ambientais; refletir sobre as realidades eclesiais supraparoquiais, como os serviços, as pastorais, associações, movimentos e novas comunidades, tendo em conta os dados dos levantamentos feitos na fase paroquial; discernir sobre os principais desafios e urgências pastorais; elaborar propostas para a melhor realização da missão na região e na Arquidiocese. 

     Os resultados das assembleias regionais serão encaminhados para a assembleia arquidiocesana, última etapa do sínodo, que acontecerá em 2020. 
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home