Ênfase de homilia do Papa é Dom Bosco

     Em 31 de janeiro de 2019, papa Francisco foi inspirado pela homilia da Missa matutina celebrada na Casa Santa Marta em São João Bosco, cuja memória é recordada pela Igreja. O cerne de sua exortação é que os sacerdotes não sejam funcionários, mas tenham a coragem de olhar a realidade com olhos de homem e de Deus.

     O pontífice lembrou que no dia de sua ordenação, a mãe de São João Bosco, uma mulher humilde e camponesa, “que não tinha estudado na faculdade de teologia”, lhe disse: “Hoje, você começará a sofrer”.

     Queria enfatizar uma realidade, mas também chamar a atenção, porque se o seu filho pensou que não haveria sofrimento, significava que algo não estava certo. “É uma profecia de mãe”, uma mulher simples, mas com um coração cheio do espírito.

     Para um sacerdote, o sofrimento é um sinal de que tudo vai bem, mas não porque ele seja um “faquir”, mas pelo que fez Dom Bosco, que teve a coragem de olhar a realidade com os olhos de homem e com os olhos de Deus. “Naquela época maçônica, anticlerical, de uma aristocracia fechada, onde os pobres eram realmente os pobres, o descarte, Dom Bosco viu aqueles jovens nas ruas e disse: Não pode ser!”, declarou o Papa. “Olhar dessa maneira fez-lhe ver o caminho, pois Dom Bosco não foi com o catecismo e o crucifixo somente, para dizer aos jovens ‘façam isso’. Não! Ele foi, caminhou com eles, ouviu com eles, viu com eles, chorou com eles e os levou adiante assim. Um sacerdote que olha humanamente as pessoas, que está ao alcance de todos. Assim foi Dom Bosco”. 
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home