Jovem sacerdote assume missão paroquial no Alto da Lapa

Padre Claudio Andrade Motta em celebração realizada no dia 13 de janeiro de 2019, na Paróquia São João Bosco, no Alto da Lapa. Abaixo, durante celebração realizado na Paróquia Santa Luzia, no Jardim Nordeste, onde  permaneceu até o ano passado como pároco


     Coordenadores de pastorais movimentam seus grupos para a programação das atividades. Educadores da obra social recebem com ânimo renovado as novas turmas de crianças, adolescentes e jovens que serão acompanhadas no decorrer do semestre. E, para dirigir os trabalhos desenvolvidos no Alto da Lapa, a missão foi direcionada ao padre Claudio Andrade Motta que assume o cargo de pároco da Paróquia São João Bosco, diretor do Centro Juvenil, obra social, e ecônomo do Instituto Pio XI. Padre Ailton António dos Santos permanece junto à comunidade como vigário e coordenador editorial do Em Família.

     Com 35 anos, padre Claudio é natural de Lorena. Apesar do pouco tempo de sacerdócio, ele acumula experiências que o conduziram a esse mais novo desafio.  A missa de posse canônica  acontecerá no dia 17 de fevereiro, às 8h30, na Paróquia São João Bosco. Nesta edição, o Em Família traz um papo-rápido com o novo pároco.



O segundo mês de 2019 chegou e as atividades na Paróquia São João Bosco e no Centro Juvenil Salesiano Dom Bosco estão em ritmo de uma genuína casa salesiana



Transição para novos desafios


     A Paróquia São João Bosco acolhe o novo pároco, padre Claudio Andrade Motta, que receberá a posse canônica no domingo, dia 17 de fevereiro, às 8h30. A missa será presidida por Dom Odilo Pedro Scherer, Cardeal Arcebispo de São Paulo, concelebrada por padre Justo Ernesto Piccinini, inspetor da Inspetoria Nossa Senhora Auxiliadora e presença de diversos representantes da Família Salesiana. Nesse tempo de transição,  padre Ailton António dos Santos  acompanha o seu sucessor e permanece na ativa como vigário paroquial.



Papo Rápido com Claudio Andrade Motta

     O que levou o senhor a optar pelo sacerdócio e tornar-se um salesiano de Dom Bosco? 

     Conheci os salesianos no ano de 2000 na cidade de Lorena, me encantei com o trabalho que realizavam nos oratórios. O jeito diferente de lidar e acolher os jovens  me levou a uma profunda experiência de Deus, e me possibilitou a seguir na vocação rumo à confissão de padre salesiano.  

     Como foi o envolvimento da sua família na decisão de ser padre?
 
     Sempre tive o apoio de todos, tanto dos meus pais como dos meus irmãos. E isso foi de extrema importância para minha caminhada vocacional.

     Se o senhor não fosse padre, qual profissão teria seguido? Por quê? 

     Na minha cidade natal existe um Batalhão do Exército (5º BIL). Quando jovem era muito empolgado para seguir essa carreira. Essa ideia me alegrava. Se não fosse padre, certamente teria seguido a carreira militar. 

     Como o senhor define um bom padre?

     Utilizarei as palavras do nosso querido papa Francisco, as quais acredito que sejam o caminho para a definição de um bom padre: “...o presbítero se faz próximo de todos, atento para compartilhar o abandono e o sofrimento. O sacerdote sabe que o amor é tudo. Não procura garantias terrenas ou títulos honoríficos que levam a confiar no homem. O seu estilo de vida simples e essencial, sempre disponível, apresenta-o plausível aos olhos das pessoas e o aproxima aos humildes, em uma caridade pastoral que o torna livre e solidário”.

     Antes de ser nomeado para assumir nova missão no Alto da Lapa, quais foram os lugares em que o senhor trabalhou?

     Trabalhei por dois anos em Lorena, minha cidade natal. Lá assumi a direção de um colégio e a reitoria de um Santuário dedicado a São Benedito. Por três anos, na Zona Leste de São Paulo, fui pároco de uma paróquia dedicada à Santa Luzia e encarregado da pastoral do Centro Social. 

     Como o senhor reagiu quando ficou sabendo que seria pároco na Paróquia São João Bosco?

     Fiquei feliz com a incumbência dada a mim pelo Padre Inspetor. Logo me coloquei à disposição para viver os desafios de uma nova obediência. E aqui cheguei com o coração aberto e disponível.

     Qual mensagem quer deixar para os paroquianos e membros das pastorais da Paróquia São João Bosco?

     Que tenhamos um ano de muitos frutos, esforços dos nossos trabalhos, participações, e sobretudo, da oferta da nossa própria vida a Deus e à comunidade. Conto com as orações de todos para que nosso trabalho seja fecundo em meio a este querido povo do Alto da Lapa. Deus os abençoe!



“...o presbítero se faz próximo de todos, atento para compartilhar o abandono e o sofrimento...”, padre Claudio Andrade Motta, segundo as palavras do papa Francisco



Novo pároco reúne coordenadores de pastorais


     Para conhecer a dinâmica dos trabalhos pastorais na Paróquia São João Bosco, o novo pároco, padre Claudio Andrade Motta promoveu no dia 17 de janeiro uma reunião extraordinária com o Conselho Paroquial Pastoral (CPP). Apesar do período de férias, houve um número expressivo de representantes das mais de 30 pastorais. 

     Padre Claudio, acompanhado de padre Ailton, agora vigário, teve a oportunidade de conhecer a liderança pastoral e se colocou à disposição para apoiar no desenvolvimento dos trabalhos. Ele ressaltou a importância dos coordenadores participarem das reuniões mensais da CPP e da unidade dos grupos. 
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home