Sínodo Arquidiocesano: percepções e perspectivas

O primeiro ano do Sínodo, em 2018, levou-nos a um “VER” e “OUVIR” sobre a situação religiosa e pastoral da Arquidiocese de São Paulo

     Nas 304 paróquias e suas comunidades, reuniram-se mensalmente numerosos grupos sinodais para rezar e refletir sobre os vários aspectos da vida e da missão da Igreja nas comunidades paroquiais. As questões refletidas foram:

     - Quem somos, enquanto Igreja Católica?

     - Qual é a nossa missão?

     - Como está sendo realizada essa missão nas comunidades? 

     - Como se encontra a comunidade? 

     Nas reuniões dos grupos sinodais apareceram muitas coisas boas e valiosas presentes na realidade e na ação da Igreja, em cada comunidade concreta. Ao mesmo tempo, porém, foram apontadas insuficiências e lacunas na vida e na ação eclesial (veja no quadro “levantamento paroquial” abaixo). 

     Os grupos deram conta de que existe grande necessidade de “nova evangelização” e que a Igreja em São Paulo, para ser fiel à sua missão, precisa se renovar na ação missionária e tomar um jeito novo, em cada paróquia, comunidade, organização e expressão eclesial. Não se pode seguir adiante apenas como uma “pastoral de manutenção”. É preciso ser “Igreja em saída” conforme pede o papa Francisco, uma “Igreja em estado permanente de missão”. Mas, como será feito isso?

Segundo ano do Sínodo Arquidiocesano

     O trabalho do segundo ano do Sínodo Arquidiocesano estará concentrado nas assembleias sinodais das Regiões Episcopais e nos Vicariatos ambientais. Os trabalhos foram abertos solenemente no dia 30 de março com grande concentração sinodal de cada região. Também farão o mesmo caminho os vicariatos ambientais da População de Rua, da Educação e Universidade e da Comunicação. A Comissão de Coordenação Geral já preparou um instrumento de trabalho e uma metodologia própria para as assembleias no âmbito da Arquidiocese. 

     O objetivo principal das assembleias regionais é a reflexão aprofundada e alargada sobre os elementos recolhidos durante o primeiro ano do Sínodo, envolvendo as organizações eclesiais e pastorais dos vicariatos regionais e ambientais da Arquidiocese de São Paulo. Num âmbito mais amplo, continua o processo do ver e ouvir do caminho sinodal. E já delineando elementos do avaliar/julgar e também indicações para o agir, a serem levados para a assembleia arquidiocesana do Sínodo em 2020. 

     Em 2019, todas as paróquias e comunidades são conclamadas a prosseguir e aprofundar o caminho sinodal, acolhendo e realizando as ações expostas abaixo: 



Ações sinodais para 2019

     1 - Promover uma assembleia paroquial ampliada; 

     2 - Conhecer, divulgar e valorizar a história da própria paróquia; 

     3 - Conhecer, valorizar e divulgar o título  da paróquia ou o santo padroeiro; 

     4 - Preparar e realizar o “mês missionário  extraordinário”, em outubro, em atenção ao pedido e às orientações do papa Francisco.



Levantamento paroquial 2018

     O levantamento paroquial feito pelos párocos e outros responsáveis pelas paróquias mostrou com realismo que estão em curso mudanças aceleradas e preocupantes. Entre os muitos elementos levantados constatou-se que:

     - O número de batizados diminuiu em toda a Arquidiocese;

     - Diminuíram as crianças e adolescentes na Catequese, Primeira Comunhão e Crisma; 

     - Os casamentos celebrados na Igreja tiveram queda de quase 50% nos últimos anos; 

     - A frequência assídua dos católicos à missa dominical não passa de 6%, em média; 

     - Cerca de 25% dos católicos vão à Igreja apenas ocasionalmente;

     - 70% dos católicos não vão à Igreja, não recebem os Sacramentos e tem pouco ou nenhum contato com a Igreja e sua ação evangelizadora.
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home