Salesianos expressam solidariedade ao povo moçambicano


Imagens devastadoras de morte e destruição chegam do sudeste da África poucas horas após a passagem do ciclone Idai


      De acordo com os primeiros levantamentos, cerca de 2,6 milhões de pessoas foram afetadas pelo desastre natural, que ainda pode se tornar um dos “piores desastres climáticos já vistos no hemisfério sul”, disseram autoridades da ONU. Como de costume, os salesianos estão próximos dos que sofrem: “os missionários estão se mobilizando para ajudar as vítimas com alimentos, roupas e gêneros de primeira necessidade”, disseram os salesianos espanhóis.

     Os salesianos da Espanha receberam as informações de Ángel Miranda, que há muitos anos colabora com os salesianos daquele país. “Os salesianos de Moçambique não sofreram nenhum dano em suas casas e podem, portanto, mobilizar-se para ajudar as vítimas.”

     O ciclone em Moçambique causou grande caos, especialmente na cidade de Beira, na costa central de Moçambique. “As estradas estão bloqueadas e produtos como combustível e água potável estão se tornando raros”, explica padre Francisco Pescador, SDB, de Moçambique.

     As comunidades onde residem os salesianos - Maputo, Moamba, Inharrime, Matundo e Moatize - não foram muito prejudicadas. “Estamos em contato permanente com as dioceses afetadas e vamos ajudar o máximo possível a população que sofre”, explicam os religiosos.

     O escritório do International Rescue Committee (ICR) declarou que “a passagem do ciclone Idai despertou um novo temor: a possibilidade de surto de epidemias e o risco de contágio da cólera e da malária, devido às condições insalubres”.

     Para as pessoas que estão em luto, o Reitor Mor, padre Ángel Fernández Artime, expressou sua proximidade: “Nestes dias, grandes inundações semearam tristeza e devastação em várias regiões de Moçambique, Zimbábue e Malauí. A essas pessoas queridas expresso minha dor e minha proximidade. Confio as muitas vítimas e suas famílias à misericórdia de Deus e imploro conforto e apoio às pessoas afetadas por esta calamidade”, enfatiza. “Agradecemos a Deus, que sempre nos acompanha em tempos de dificuldade. “Convido-os a não desanimarem neste momento e a colocar todas as energias a serviço das pessoas que mais precisam de nós”.

Fonte: ANS - Beira
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home