Irmã Dulce: legítima santa brasileira


     O papa Francisco anunciou em 1º de julho de 2019, durante o Consistório Ordinário Público, a data de canonização de Irmã Dulce. O evento será celebrado no domingo, 13 de outubro de 2019, no Vaticano, durante o Sínodo para a Amazônia, e acontece 27 anos após seu falecimento. 

     Este é o terceiro processo de canonização mais rápido da história. Só a santificação do papa João Paulo II, nove anos após sua morte, e de madre Teresa de Calcutá, 19 anos após o falecimento, exigiram menos tempo. Irmã Dulce será a primeira santa nascida no Brasil, que até agora só tem um santo brasileiro de nascimento – Santo Antônio de Sant’Ana Galvão, o Frei Galvão.

     O presidente Jair Bolsonaro anunciou ida à cerimônia de celebração da canonização de Irmã Dulce em Salvador, em 20 de outubro. O convite foi feito pessoalmente pelo arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, a superintendente das Obras Sociais Irmã Dulce (Osid), Maria Rita Pontes, e o gestor operacional da Osid, Sérgio Lopes, no Palácio do Planalto. 
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home