Mulheres cristãs no Egito: antídoto para a intolerância e conflitos sociais


     O Comitê de Mulheres do Conselho de Igrejas do Egito organizou sua primeira conferência anual, realizada de 26 a 28 de setembro de 2019.

     Pela primeira vez, dezenas de leigas e religiosas, representando mulheres pertencentes às diferentes Igrejas e comunidades cristãs presentes no Egito, se reuniram por três dias na Casa de Nossa Senhora da Paz, no Cairo, para participar de palestras e momentos de debates dedicados ao tema do diálogo, da coexistência e da compreensão da identidade dos outros, como antídoto para a intolerância e os conflitos sociais.

     O Conselho de Igrejas do Egito foi criado em fevereiro de 2013 também para promover um discernimento comum dos fatos e fenômenos relacionados às chamadas "Primaveras Árabes" e ajudar as diferentes comunidades cristãs a expressarem uma posição compartilhada, especialmente na área de questões políticas e sociais.



Violência contra cristãos na Índia

     Desde 2014 foi registrado um aumento nos episódios de violência contra os cristãos em praticamente toda a Índia. Somente nos primeiros 243 dias do ano de 2019, houve 218 incidentes. Desses, 159 são violência de massa, cerca de 27 a cada mês. A denúncia foi enviada à Agência Fides pela ONG Alliance Defending Freedom (ADF), sediada em Nova Délhi.

     Na nota enviada à Agência Fides, é denunciado que o modus operandi nos 159 casos de violência em massa é o mesmo. Uma multidão acompanhada pela polícia chega para perturbar um encontro de oração, grita slogans e agride os membros da assembleia dos fiéis, incluindo mulheres e crianças. 



Nigéria em favor do Papa

     No final da sua recente Plenária, os Bispos Católicos da Nigéria disseram que os ataques dirigidos ao papa Francisco são inoportunos e os descrevem como “o proverbial mau vento que não traz nada de bom a ninguém, tendo em vista que existem outras vias mais legítimas para expressar opiniões ao Santo Padre”. 

     A Segunda Assembleia Plenária da Conferência Episcopal da Nigéria aconteceu no Centro Pastoral da Divina Misericórdia, em Abeokuta, Estado de Ogun, de 11 a 20 de setembro. Os bispos nigerianos condenam ainda os ataques xenófobos na África do Sul, e elogiam os Bispos sul-africanos, pela sua solidariedade para com as vítimas da xenofobia.



Tráfico humano em Moçambique

     A escassos dias da celebração do Dia Mundial do Migrante e do Refugiado, que este ano aconteceu em 29 de setembro, a Comissão Episcopal para Migrantes, Refugiados e Deslocados, manifestou a sua preocupação face à onda de tráfico humano, aliada à migração ilegal. 

     Segundo a secretária geral da CEMIRDE, Irmã Marinês Biassibet, cada vez mais pessoas, principalmente mulheres e crianças, estão sendo enganadas pelos traficantes, cujo destino preferencial tem sido a vizinha África do Sul. “É preciso que haja uma orientação pastoral para lidar com a questão do tráfico humano, migrantes, refugiados e deslocados”, ressalta.
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home