Estreia 2020 – “Bons cristãos e honestos cidadãos”

Mensagem do Reitor-Mor, padre Ángel Fernández Artime, para direcionamento e prática vivencial da Família Salesiana nas diversas frentes de trabalho


     Após o encontro da consulta mundial da Família Salesiana de maio, em Turim, pensei propor para a Estreia de 2020 um tema que, na forma de binômio, encarnasse a essência da nossa educação salesiana. Nós o recebemos do próprio Dom Bosco: ajudar os nossos adolescentes, as nossas adolescentes e jovens a serem “bons cristãos e honestos cidadãos”. Precisamos aprofundar sempre mais a nossa identidade de evangelizadores e educadores da fé.

     Há uma crescente fragilidade, e, às vezes, incapacidade, em ser apóstolos e missionários dos jovens. E, ao mesmo tempo, há o risco de não educar os nossos jovens para um sentido forte de cidadania, justiça social e valores evangélicos que levem a interiorizar, como programa de vida, o serviço aos outros, o empenho na vida pública, a honestidade pessoal e a “alergia” a qualquer tipo de corrupção, a sensibilidade pelo mundo da migração, o criado e a “casa comum”, que nos foi dada, no empenho pela tutela dos indefesos, dos que não têm voz, e que são descartados.

     Pergunto-me: se não conseguimos educar para esses valores, o que estamos obtendo? E que evangelização estamos realizando no nome de Jesus? Justamente por isso, este empenho educativo é hoje expressão da palavra de Jesus: “Seja feita a tua vontade, como no céu, também na terra”.  Essa é e continuará a ser a verdadeira “política do Pai nosso” de Dom Bosco.

Política do Pai nosso em Dom Bosco

     Sendo a referência a Dom Bosco sobre tão direta e sobre um tema entre os mais sensíveis da sua história “dentro” do contexto social – político – eclesial em que viveu, creio ser importante dar atenção ao que as nossas fontes têm a dizer sobre o tema. É preciso ter uma ideia clara do que foi para Dom Bosco o envolvimento na “polis” do seu tempo: seus grandes “sins” e seus firmíssimos “nãos”, que certamente não podem ser transferidos inteiramente para o nosso contexto.

     A Estreia deste ano permite-nos reconstruir o que Dom Bosco pensava e qual era o seu modo de fazer e agir entre os jovens, com a intenção de prepará-los para a sociedade em que viviam, sujeita a mudanças impetuosas, em plena revolução industrial, em que para muitos a pobreza chegou a níveis extremos: a imensa disparidade social e econômica, ao aumento do fenômeno da mendicidade, o abandono de crianças “migrantes”... Tudo isso na Itália do século XIX.



Reitor-Mor faz apelo missionário 2020

     Dia 8 de dezembro de 2019, dia da Imaculada Conceição, foi a data escolhida pelo Reitor-Mor, P. Ángel Fernández Artime, para o tradicional apelo missionário dirigido a toda a Congregação.

     No início do vídeo do apelo missionário para 2020, a apenas alguns meses do envio da 150ª Expedição Missionária, o Reitor-Mor lançou o que ele mesmo chamou de “verdadeira joia”: o livro que traz os nomes de todos os irmãos salesianos que partiram como missionários ao longo dos anos. E é segurando nas mãos este precioso volume que o P. Á. F. Artime faz seu apelo, “um apelo missionário mais que nunca acalorado e convicto”.

     “Esta é a nossa realidade e também a identidade de nossa Congregação – diz o Reitor-Mor – . Todos sabem que Dom Bosco trazia em seu coração uma grande paixão missionária”. E é à luz dessa paixão que o Sucessor de Dom Bosco dirige-se às Inspetorias, aos seus Coirmãos, a toda a Congregação, para que sejam sempre generosos e nunca deixem de ouvir o apelo de Deus.
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home