Tempo de graça para não deixar passar em vão

Neste tempo quaresmal, papa Francisco estende a todos os cristãos o que escreveu aos jovens na Exortação apostólica Christus Vivit: fixar os braços abertos de Cristo crucificado e deixar-se salvar sempre de novo. “A Páscoa de Jesus não é um acontecimento do passado: pela força do Espírito Santo é sempre atual e permite-nos contemplar e tocar com fé a carne de Cristo em tantas pessoas que sofrem”


     Quaresma é o tempo litúrgico que antecipa todo o período da Semana Santa, da Morte e da Ressurreição de Cristo, do mistério Pascal. Então, é um grande tempo que a Igreja nos dá para que possamos preparar o coração, viver verdadeiramente o tempo da Páscoa. É um tempo de recolhimento para que cada cristão possa rever a própria vida e analisar sua conduta corresponde àquilo que Jesus Cristo pede. 

     Serve para que cada pessoa possa analisar se está verdadeiramente amando Deus sobre todas as coisas ou se outras coisas estão dominando o seu coração. É um tempo de parar, silenciar e refletir sobre a própria vida. 

     Uma visão ampliadaPapa Francisco insiste numa contemplação mais profunda do Mistério pascal, recordando que a experiência da misericórdia só é possível “face a face” com o Senhor crucificado e ressuscitado. “A Quaresma é um tempo de diálogo coração a coração, de amigo a amigo. Por isso mesmo, é tão importante a oração no tempo quaresmal. Antes de ser um dever, esta expressa a necessidade de corresponder ao amor de Deus, que sempre nos precede e sustenta”, ressalta papa Francisco. 

     Ainda segundo o Papa, o cristão reza ciente da sua indignidade de ser amado. A oração poderá assumir formas diferentes, mas o que conta verdadeiramente aos olhos de Deus é que ela escave dentro de cada um de nós, chegando a romper a dureza do nosso coração, para o converter cada vez mais a Ele e à sua vontade.

     Quanto mais nos deixarmos envolver pela Palavra do Senhor,  tanto mais conseguiremos experimentar a sua misericórdia gratuita por nós. O mais acertado para o cristão  é não deixar passar em vão este tempo de graça, na presunçosa ilusão de ser o dono dos tempos e modos da nossa conversão a Ele.

     Quaresma no BrasilA partir da década de 70, a Igreja no Brasil colocou na devoção dos fiéis que tradicionalmente acompanham, com muita piedade, a caminhada de Jesus para a Páscoa, um reforço à vivência do amor, da caridade que liberta, visto que Jesus deu Sua vida para nos salvar. Ao colocar a Campanha da Fraternidade no período da Quaresma, ela quer que sua organização e realização sejam uma mediação prática para a vivência da caridade, desenvolver e aprofundar a fraternidade, segundo o mandamento do amor: amar o próximo como Jesus nos amou.


Quando surgiu a Quaresma

Por volta do ano 350 d.C., a Igreja decidiu aumentar o tempo de preparação para a Páscoa, que era de três dias, que permaneceram como o Tríduo Sagrado da Semana Santa: Quinta-feira Santa, Sexta-feira Santa (Paixão) e Sábado Santo. A preparação para a Páscoa passou, então, a ter 40 dias. Isso aconteceu porque os cristãos perceberam que três dias eram insuficientes para que se pudesse preparar adequadamente tão importante e central evento. Surgia, assim, a Quaresma.

A relevante expressão do número 40

O número 40 é bastante significativo nas Sagradas Escrituras. O dilúvio teve a duração de 40 dias e 40 noites. Durante 40 anos, o povo hebreu caminhou pelo deserto rumo à terra prometida, tendo atravessado o Mar Vermelho. Antes de receber o perdão de Deus, os habitantes da cidade de Nínive fizeram penitência por 40 dias. O profeta Elias caminhou 40 dias e 40 noites para chegar à montanha de Deus. Preparando-se para cumprir sua missão entre os homens, Jesus jejuou durante 40 dias e 40 noites. Moisés havia feito o mesmo. Os povos antigos atribuíam ao número 40 diversos significados. Um deles tem importância especial para os cristãos: um tempo de intensa preparação a acontecimentos marcantes na História da Salvação.



Atitudes concretas para viver o tempo da Quaresma 

A cada ano, um tema é tratado no espírito quaresmal de conversão, por meio da meditação, da oração, do jejum, da esmola, no sentido de caridade que liberta


     Em 2020, o título escolhido foi inspirado na 2ª carta de São Paulo aos Coríntios: “Em nome de Cristo, suplicamo-vos: reconciliai-vos com Deus” (2 Cor 5, 20).

     Para facilitar, a Igreja oferece texto base no esquema “Ver, Julgar, Agir” e diversos subsídios de apoio, motivando e estimulando os fiéis a levarem a meditação sobre Jesus perseguido e sofredor, e as demais práticas da Quaresma para atitudes concretas em favor do outro, privilegiadamente os sofredores.

     O foco da Quaresma sempre foi e continuará sendo a conversão ao Senhor e ao que Ele quer de nossa vida e do mundo. A conversão pessoal e institucional, porém, deve sempre se concretizar, ser visível. É um tempo de mudança, de reflexão e de conversão. Segue abaixo diversas atitudes de mudança para serem colocadas em prática no tempo da Quaresma para tornar pessoas melhores.

     Na Quarta-feira de Cinzas começam os 40 dias de preparação para a Páscoa e termina na Quinta-feira Santa. Nesse dia, a Igreja recorda a Última Ceia do Senhor, quando Jesus de Nazaré compartilhou a refeição pela última vez com seus apóstolos, antes de ser crucificado na Sexta-feira Santa.



Atitudes para realizar durante a Quaresma, conforme papa Francisco 

       15 ATOS DE CARIDADE

       1   Sorrir, um cristão é sempre alegre!
       2 Agradecer (embora não “precise” fazê-lo)
       3 Lembrar ao outro o quanto você o quer bem
       4 Cumprimentar com  alegria as pessoas que encontra
       5 Ouvir a história do outro, sem julgamento, com amor
       6 Parar para ajudar. Estar atento a quem precisa de você
       7 Animar, encorajar alguém
       8 Reconhecer os sucessos  e qualidades do outro
       9 Separar o que você não usa e dar a quem precisa
     10 Ajudar a alguém para que ele possa descansar
     11 Corrigir com amor; não calar por medo
     12 Ter delicadezas com os que estão perto de você
     13 Limpar o que sujou, em casa
     14 Ajudar os outros a superar os obstáculos
     15 Telefonar ou visitar mais seus pais e parentes


     11 FORMAS DE JEJUM

     • Jejum de palavras negativas e dizer palavras bondosas
     • Jejum de descontentamento e encher-se de gratidão
     • Jejum de raiva e encher-se com mansidão e paciência
     • Jejum de pessimismo e encher-se de esperança e otimismo
     • Jejum de preocupações e encher-se de confiança em Deus
     • Jejum de queixas e encher-se com as coisas simples da vida
     • Jejum de tensões e encher-se com orações
     • Jejum de amargura e tristeza e encher o coração de alegria
     • Jejum de egoísmo e encher-se com compaixão pelos outros
     • Jejum de falta de perdão e encher-se  de reconciliação
     • Jejum de palavras e encher-se de silêncio para ouvir os outros
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home