Junho de 2015 - Evangelho cheio de vida e dinamismo

     Dá a impressão de que Marcos (Mc) não quer deixar nem mesmo um momento para Jesus e o leitor  respirarem. Somos como que arrastados pelo evangelista. Para isso ele utiliza diversos recursos de ordem literária.

     Um primeiro recurso é o chamado gramaticalmente de PRESENTE HISTÓRICO: um acontecimento passado, mesmo de um passado remoto, é apresentado com veste de  presente. São 150 casos em Mc, mais abundante nesse recurso que todos os outros escritos do Novo Testamento juntos! Vários casos estão, por exemplo, no trecho de Mc 15, 21-24: 'Requisitam certo  Simão...para que carregue a cruz...e o conduzem ao lugar chamado Gólgota... e o crucificam' - verbos que os tradutores põem normalmente no pretérito.

     A propósito, acrescentamos uma observação sobre o uso que Mc faz também do IMPERFEITO: a gente parece assistir ao desenrolar do fato narrado. Alguns exemplos: 5, 13 ( os porcos se sufocavam no mar... cf. Mt 8, 32 e Lc 8, 33); 12, 41 e 14, 35 ( tendo se adiantado um pouco, ei-lo que caía por terra e orava...cf. Mt 26, 39); 18, 42 ( a menina se levantou e  ei-la que andava...).

     Outro recurso é a expressão 'E LOGO', que, frequentemente usado, deixa a leitura bastante movimentada. São 42 usos no curso de todo o Evangelho! Em Mt e Lc  é usada apenas 7 e 1 vez, respectivamente.

     Mais uma expressão característica de Mc que o deixa bastante movimentado: é 'DE NOVO', usada 28 vezes. Para o mesmo efeito concorre ainda o frequente uso da expressão 'E COMEÇOU' + INFINITO VERBAL ( 1, 45; 2, 23; 4, 1; 5, 17.20; 10, 23).

     Quando acima vimos a linguagem popular de Mc, observamos o seu uso da conjunção 'E'. Ela, além disso, acarreta grande movimentação nos relatos e  frases, revelando-nos o jeitão acelerado de Marcos escrever.

     Mas no centro de todo esse dinamismo e movimentação se acha, dominando, a figura impressionante de Jesus: todos sentem profunda admiração, atração, reverência frente a Ele  (convido o leitor a se debruçar sobre as seguintes passagens: 1,22-27.45; 2,12; 4,41; 5,20-42; 6,2s; 10,32. Cf. Mt 20,17 e Lc 18,31).

     Com muita razão, portanto, falou Osty: "Pode-se dizer que a vida vibra em todas as secções de Mc, ela aí circula à maneira de uma torrente. Quando se lê um trecho de Mt depois do paralelo de Mc, julga-se entrar no reino das sombras" (Apud E. Bettencourt, Para entender os Evangelhos, p.128, nota 15).

Padre Alcides Pinto da Silva, atua na Obra Social São João Bosco, em Campinas
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home