Julho de 2015 - Evangelho de Marcos é como roteiro

      A liturgia educa a nossa fé e as leituras bíblicas que o ano litúrgico nos apresenta domingo após domingo vai sendo um fio condutor para o nosso crescimento. Neste ano, nós estamos vivenciando o ano litúrgico B, que traz o Evangelho de Marcos como roteiro.

      Nos domingos do mês de julho os textos apresentados são primeiramente o de Mc 6, 1-6, que mostra Jesus entre os seus conterrâneos de Nazaré, que lhe opõem resistência, e Jesus praticamente não consegue fazer ali nenhum milagre. Jesus não se faz de rogado, e vai percorrer as outras aldeias, pregando e anunciando. Não fica ali em Nazaré, parado, mendigando atenção e confiança: "Um profeta só não é estimado em sua pátria".

      E essa experiência Jesus faz os seus discípulos a fazerem-na eles mesmos. No domingo seguinte (15º domingo do Tempo Comum - Mc 6, 7-13), Jesus envia seus discípulos, dois a dois, com a recomendação de não complicarem os preparativos para a missão, mas realizarem a missão. Não levar nada para o caminho, a não ser um cajado; nem pão, nem sacola, nem dinheiro na cintura. Porque muitas vezes até quereríamos fazer o bem, desempenhar a nossa missão, mas fazemos tantas exigências iniciais, que nunca vamos começar nada.

      O evangelho segue ensinando-nos. No 16º domingo do Tempo Comum (Mc 6, 30-34), o mostra os discípulos voltando eufóricos da missão que Jesus lhes tinha proposto, contando tudo o que tinham feito e ensinado. Mas a multidão continua sequiosa dos ensinamentos do Reino, e segue a Jesus e os discípulos, e Jesus tem compaixão da multidão, porque era como ovelhas sem pastor. E Ele começa a ensinar muitas coisas, dando alento para aquele povo.

      Mas não adianta só dar alento, quando faltam as forças básicas. A multidão recebeu o ensinamento, mas está faminta (17º domingo do Tempo Comum). E Jesus envolve os discípulos no milagre da multiplicação dos cinco pães e dos dois peixes. Mas não basta o pão material, que já foi multiplicado. É preciso participarmos da ceia do pão espiritual - a ceia do próprio Corpo de Cristo. Aqui se abre uma sequência de vários domingos discutindo sobre esse Pão da Vida. Isso é relatado não no Evangelho de Mateus, mas no de João. Por esse motivo, já neste 17º domingo do Tempo Comum faz-se a leitura do evangelho de João e não do de Marcos. E é o Evangelho de João que vai ser ouvido na liturgia nesses domingos seguintes.

Padre Assis Moser, sdb.
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home