Março de 2017 - Autor, lugar de origem e data

     O livro de Apocalipse é identificado como sendo de João (1,1; 22,8). A maioria dos antigos comentadores, a maior parte dos exegetas católicos e alguns protestantes pensam tratar-se do apóstolo João, inclusive Santo Irineu, discípulo de São Policarpo, por sua vez discípulo do apóstolo e evangelista João. Hoje não poucos estudiosos, em base às características do Apocalipse muito diversas (linguísticas, literárias, doutrinais e de mentalidade), se comparadas com João, Evangelho e Epístolas, divergem dessa posição (inclusive respeitáveis autores católicos, como Wikenhausr e Boismard).

     Uma observação importante: se considerarmos que se trata do gênero apocalítico, é natural pensarmos num caso de pseudonímia, como em geral acontece com outros apocalipses que conhecemos (2 Henoc, 2 Baruc, Apocalipse de Pedro ou 4 Esdras). Aí o autor se apresentaria como sendo o apóstolo João, sem sê-lo, porém, na realidade histórica.  Deste modo, poderíamos julgar essa explicação igualmente aceitável.

     Lugar de origem: a origem das visões descritas em Apocalipse foi em Patmos, pequena ilha rochosa a 100 quilômetros a sudoeste de Éfeso, onde João estava exilado por causa da pregação do Evangelho (1,9). Não consta, porém, que foi aí que o Apocalipse foi escrito.

     Data: a maioria dos antigos escritores cristãos pensavam que o Apocalipse fora escrito "perto do final do reinado de Domiciano (81-96 d.C.)" (Novo Comentário Bíblico São Jerônimo, pp. 838-839). Na realidade, há bons argumentos para situá-lo primeiramente após o ano 70 d.C. Mais exatamente, segundo Santo Irineu, podemos colocá-lo no final do reinado de Domiciano (95-96 d.C.). "A adoração da fera sob pena de morte (cap.13) enquadra muito bem com a conduta de Domiciano que foi o primeiro a exigir para sua pessoa uma veneração divina" (A.C.A. Lemmers).

     Estamos, assim, na época das perseguições romanas aos primeiros cristãos: Babilônia, que indica Roma, é a cidade das 7 colinas e 7 reis (17,9), ambas essas realidades sendo simbolizadas nas 7 cabeças da Besta ou fera. Os reis seriam Calígula, Cláudio, Nero, Vespasiano, Tito, Domiciano e um que ainda não veio (v.10). O que no momento reina é, portanto, Domiciano, quando o Apocalipse é escrito. O 7º rei "que ainda não veio" seria, segundo a lenda que corria de seu retorno, Nero redivivo. Governaria pouco.

     A atitude de Paulo em Romanos 13 foi respeitosa para com a autoridade romana. Agora ela se transformou, como vemos pelo Apocalipse, em declarada hostilidade. Com esse tom, nosso pequeno livro se tornará querido pelos seguidores da Teologia da Libertação em luta contra a opressão, como vimos ao falar da sua atualidade no mês passado.

Padre Alcides Pinto da Silva atua na Obra Social São João Bosco, em Campinas
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home