Boa tarde!           Sexta 17/08/2018     12:14

Caminhada sinodal em celebração

     Em 30 de maio de 2018, o cardeal Dom Odilo Scherer, arcebispo metropolitano de São Paulo, publicou no site da Arquidiocese de São Paulo, uma análise dos desafios das realizações já conquistadas em vista ao lançamento do 1º Sínodo Arquidiocesano que tem como lema: "caminho de comunhão, conversão e renovação missionária", lançado na solenidade de Corpus Christi de 2017.

     O arcebispo expõe no documento as primeiras metas do Sínodo: "O objetivo desta primeira etapa é a promoção de um grande "ver" sobre a realidade de nossa Igreja em São Paulo, chamada a ser "testemunha de Deus nesta Cidade". Até que ponto estamos correspondendo a essa nossa missão? Quais são as interpelações que nos vêm da realidade sócio religiosa e dos apelos da Palavra de Deus e da Igreja? Quais são as maiores urgências postas à missão da Igreja em São Paulo? E como vamos responder a essas urgências e desafios? Em comunhão, unidos pelo Evangelho e pelo Espírito de Cristo, buscaremos as respostas", enfatiza.



Incentivo à consciência eclesial

     Os trabalhos da Comissão de Coordenação Geral se intensificaram com a elaboração do “Levantamento paroquial” (que ocorrerá entre agosto e setembro de 2018) e do regulamento das assembleias paroquiais; com avaliações constantes sobre o envolvimento das paróquias no caminho sinodal e com a importante participação dos meios de comunicação da Arquidiocese. Da Comissão Geral de Coordenação do Sínodo, os bispos auxiliares já instituíram as Comissões Regionais.

     No momento, o “foco” é a paróquia, para que ela não somente realize os trabalhos do Sínodo por dever, mas, sim, cresça em consciência eclesial sobre sua dimensão constitutiva que é de ser “uma comunidade sinodal” – fiéis que caminham juntos na corresponsabilidade de viver a fé e testemunhá-la no lugar em que estão nesta cidade.



Sínodo é “tempo de Graça”

     O caminho da “sinodalidade” é o caminho que Deus espera da Igreja, que ela seja sempre “sinodal” em todo o seu “ser” e “agir” (cf. papa Francisco, 17/10/2015). A “sinodalidade” é dimensão constitutiva da Igreja. O que o Senhor nos pede, em certo sentido, está tudo contido na palavra “sínodo”.

     O que já podemos compreender é que o Sínodo não é apenas um acontecimento de dois ou três anos que realizaremos e celebraremos e, depois, continuaremos... mas, sim, é nossa resposta à vontade do Senhor para a Igreja em São Paulo, “ser sinodal”. Neste momento, o sínodo é, sim, um tempo de escuta, revisão, discernimento, oração, para que possamos evangelizar a cidade. E, é neste momento, com humildade e docilidade ao Espírito Santo, que pontuamos alguns aspectos necessários para que caminhemos em Comunhão, Conversão e Renovação pastoral-missionária.
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home