Boa tarde!           Sexta 17/08/2018     12:13

Dom Bosco: consagrado Pai e Mestre da juventude

De cada criança fez um ser humano, pelo amor e trabalho diligente o santo amigo, o santo irmão da gente João Bosco, luz acesa no futuro.”
Carlos Drummond de Andrade


     O renomado poeta brasileiro, Carlos Drummond de Andrade, também reconhecido por seu comprometimento com a realidade social, “traduziu” de forma pontual e objetiva a sua percepção sobre a vida de Dom Bosco, que se destaca na história como Pai e Mestre da Juventude. Apesar dos anos que separam os dias de hoje ao tempo que viveu Dom Bosco, o seu amor e dedicação aos jovens tornaram-se herança pedagógica e vêm sendo transmitidos por homens e mulheres no mundo inteiro.

     A Família Salesiana celebrou em 2015 os dois séculos do nascimento de Dom Bosco, fundador da Congregação. Um itinerário de atividades foi elaborado para as comemorações do Bicentenário em todos os 132 países onde a Congregação Salesiana está presente. Cada etapa desenvolveu um aspecto do carisma de Dom Bosco: “Conhecer e amar sua História” (2011-2012), “Pedagogia” (2012-2013) e “Conhecer e viver a Espiritualidade de Dom Bosco” (2014-2015).

     Por ter criado conceito educacional do Sistema Preventivo de Educação, que é baseado na razão, na religião e no amor, Dom Bosco é considerado modelo de educador. Com isso deu início a uma história de sucesso e transformação de muitas vidas, o que é reproduzido no dia a dia com centenas de crianças, adolescentes e jovens na Paróquia São João Bosco e no Centro Juvenil Salesiano, em São Paulo.

     Numerosas e significativas são as expressões com as quais Dom Bosco procurou manifestar sua solicitude e seu desejo de trabalhar pela juventude, considerada “a porção mais delicada e preciosa da sociedade humana”.  Algumas dessas expressões foram assumidas no texto das Constituições Salesianas, renovadas após o Concílio Vaticano II. 

     Dom Bosco se interessou principalmente pelos jovens tendo em vista a idade que tinham, suas situações concretas de sofrimento, seus problemas e suas autênticas exigências de crescimento e de desenvolvimento a que aspiravam. Por isso “não deu passo, não pronunciou palavra, nada empreendeu que não visasse à salvação da juventude” (Const. 21). Esta sua dedicação, que tinha em vista o bem material e espiritual da juventude, o levou a afirmar: “Aqui entre vós me acho bem, minha vida é mesmo estar convosco” (Const. 39).



Homem à frente do seu tempo


     Dom Bosco percebeu ser melhor “prevenir do que reprimir”. No século XIX, na Itália, empenhou todas as suas forças em prol das crianças e dos jovens, especialmente os mais carentes, acreditando que eles poderiam ser protagonistas de sua própria história. Também compreendeu de maneira inovadora qual o papel do educador (fosse ele leigo ou religioso) como colaborador fundamental nesse processo. Suas iniciativas tiveram excelentes resultados e no decorrer dos tempos suas ideias e ensinamentos têm muito a dizer aos educadores e à juventude de hoje.

     Na Paróquia São João Bosco e no Centro Juvenil Salesiano Dom Bosco, ao observar o investimento realizado com crianças, adolescentes, jovens e adultos é fácil perceber que por meio de um trabalho educacional e religioso  bem estruturado, homens e mulheres devotos e admiradores das ações de Dom Bosco visam estimular o autodesenvolvimento da pessoa em todos os níveis: físico, racional e espiritual, de acordo com o legado de Dom Bosco que afirmava valer a pena investir no ser humano, principalmente na juventude marginalizada e excluída.



Espírito salesiano: propósito de uma ordem religiosa

     O propósito da Congregação Salesiana é viver o carisma de Dom Bosco. Sua espiritualidade se expressa como um modo de vida que, no aspecto temporal e espiritual, educa pelo exemplo. Sendo assim, do exemplo de São João Bosco os salesianos extraem alguns aspectos que indicam a prática da espiritualidade salesiana:

     Uma espiritualidade cristã: o ponto de partida é o amor de Cristo pela humanidade, que é a raiz da caridade do salesiano pelos jovens. É com o coração de Cristo que o salesiano desenvolve sua missão.

     Uma espiritualidade otimista e operante: não se lamenta nem se perturba diante da adversidade, responde aos desafios com uma visão otimista da vida e com seu trabalho, de forma simples, direta e descomplicada, pois sabe que agindo dessa maneira, corresponde à providência divina.

     Uma espiritualidade humana na temperança: procura no cotidiano as oportunidades de penitência, a incompreensão das pessoas, as dificuldades do clima, os desentendimentos, as pequenas falhas que sempre incomodam, praticando assim a paciência e a temperança, sem recorrer a penitências extraordinárias. É, assim, uma espiritualidade acessível a qualquer pessoa.

     Uma espiritualidade atenta e criativa: criar o novo, ter iniciativa, acompanhar e antecipar a história para estar perto da humanidade e sobretudo dos jovens, principalmente quando se trata da salvação.

     Uma espiritualidade educadora e mariana: a devoção a Maria Auxiliadora dos Cristãos, se concretiza na proposta educativa do sistema preventivo fundamentado na razão, na religião e no carinho. A educação se faz pela clareza das instruções, pela fé como fundamento da ação e pela caridade e amor à humanidade como caminho de encontro com Deus.

     Uma espiritualidade na experiência de Deus: mesmo não sendo uma ordem contemplativa, o salesiano contempla em sua ação a experiência de Deus como Pai, que olha, que cuida, que provê, que educa e que ama os jovens.

     Uma espiritualidade de serviço aos jovens: sintetizado na frase "Basta que sejais jovens para que eu vos ame", amor que muitas vezes importunava os inexperientes jovens, significa que é possível vencer o egoísmo sabendo que a vida não é um fim em si mesmo, mas um dom que se dedica a quem se ama. Na espiritualidade salesiana esse amor é dedicado à criança e aos jovens em primeiro lugar e proposto como um convite a ajudar nessa missão a todos os que já chegaram à vida adulta.

     É próprio dessa espiritualidade salesiana reunir as pessoas em família, padres, irmãos e irmãs de vida consagrada, fiéis católicos casados ou não em torno dessa missão de atender, cuidar, educar e amar a juventude.



Obras salesianas em terras brasileiras

Há 135 anos os Salesianos de Dom Bosco e as Salesianas Filhas de Maria Auxiliadora chegaram ao Brasil e desde então dedicam-se à educação e à formação de crianças, de adolescentes e de jovens, em especial daqueles em situação de vulnerabilidade e de exclusão social

     A história dos salesianos no Brasil começou em 1883 quando um grupo de religiosos vindo da Itália, encaminhados por Dom Bosco para colocar em prática sua pedagogia e seu carisma baseados na razão, religião e no carinho. O principal objetivo da comitiva era atender às necessidades de uma população jovem e carente. 

     A primeira obra salesiana em terras brasileiras foi estabelecida em Niterói, no Rio de Janeiro. A implantação do grandioso desafio teve início com o ensino fundamental e não demorou muito para abranger o ensino secundário. Desde então, a Congregação Salesiana era destacada como símbolo da renovação na área da educação e bem vista por dedicar-se à juventude carente - filhos de escravos beneficiados com a Lei do Ventre Livre e jovens imigrantes italianos que vinham tentar a sorte no Brasil. 

     A segunda obra salesiana construída no Brasil foi o Liceu Coração de Jesus, em São Paulo. Alguns anos depois, o Instituto Dom Bosco, no bairro do Bom Retiro. Hoje os salesianos atuam em todo o território nacional e estão divididos em casas de formação religiosa, paróquias, retiros, missões entre os indígenas, oratórios festivos e diários, obras sociais, escolas do infantil ao universitário, rádios comunitárias, editora, centros audiovisuais, de vídeo comunicação, documentação e pesquisa e se constituem na missão proposta por Dom Bosco.

     A organização dos Salesianos de Dom Bosco é composta no Brasil por cinco inspetorias que estão vinculadas à Conferência dos Inspetores Salesianos do Brasil. 

     À conferência inspetorial é atribuída, entre outras, a tarefa de acompanhar a coordenação da ação pastoral comum, do setor da formação, qualificação e atualização dos sócios e do setor da comunicação social, favorecendo generosa colaboração com intercâmbio de pessoal e de meios. O presidente da comissão é o padre Natale Vitali, residente em Roma, Itália.

     A Paróquia São João Bosco e o Centro Juvenil Salesiano Dom Bosco respondem à Inspetoria Salesiana de Nossa Senhora Auxiliadora, que fica no bairro de Campos Elíseos, em São Paulo, e atualmente é dirigida pelo padre Justo Ernesto Piccinini. 
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home