Fevereiro de 2015 - Estudar Marcos: ELE e Pedro

     Saber que por detrás do Evangelho de Marcos (Mc) encontramos muito provavelmente  a pregação, a vasta experiência e o amor de Pedro por Jesus é muito importante, dá solidez ao que escreveu Marcos, o primeiro evangelista.

     Não era Marcos o filho de certa Maria, em cuja casa os discípulos se reuniam e para a qual Pedro se dirigiu ao deixar o cárcere (At 12,12)? E não foi ele, Marcos, batizado provavelmente por Pedro, que por isso o chamava 'meu filho' (1 Pe 5,13)? Sente-se o relacionamento filial, íntimo entre ambos, que podemos reforçar comas palavras de Pápias, bispo de Hierápolis na Ásia Menor por volta de 130d.C., que refere o testemunho de certo presbítero de nome João: "Marcos, que se tornou intérprete de Pedro, escreveu com exatidão, não porém segundo a ordem, tudo de que se recordava dentre os ditos e feitos do Senhor. Ele não ouviu o Senhor, nem foi seu discípulo; mais tarde, porém, fez-se discípulo de Pedro. Este ministrava seu ensinamento segundo a necessidade, sem mirar a pôr em ordem os sermões do Senhor, de sorte que Marcos não incorreu em falta , escrevendo certas coisas como delas se recordava. Só se preocupava com um objetivo: nada omitir do que ouvira e nada referir senão a verdade".

     At 1,21s traz as palavras de Pedro sobre quem substituiria  Judas que traiu Jesus, e põe como condição que seja alguém que conviveu com Jesus desde o batismo de João até a sua ascensão. Ora, o único evangelho que se ateve a essa orientação de Pedro foi o de Marcos, seu querido discípulo. Outros  dados do próprio Mc apontam também para uma dependência deste com relação a Pedro: Mc gosta, por exemplo, de realçar a pessoa de Pedro, seu mestre. Pode-se conferir: Mc 1,36 ('Simão e seus companheiros'...); 11,21 (é Pedro que fala da figueira amaldiçoada, enquanto em Mt 21,20 quem fala são os discípulos); 13,3 (sobre a destruição de Jerusalém Pedro está, entre outros apóstolos também lembrados,  em 1º lugar), enquanto para Mt 24,3 e para Lc 21,7 se trata de novo dos discípulos); Mc 16,7 (traz um acréscimo: 'e a Pedro', que Mt 28,7 não traz)... Por outro lado, Mc narra com simplicidade particulares humilhantes para Pedro, que os outros evangelistas (que dele como fonte dependem) omitem ou amenizam: assim, Mc 9,6 relata na Transfiguração que Pedro 'não sabia o que dizer', afirmação que não existe em Mt 17,4; em Mc 14,29-31 com 14,16 (negação de Pedro a comparar com Lc)... Observa com razão B. Rigaux: "Pedro é censurado mais que qualquer outro: Afasta-te de mim, satanás!  Tu não te preocupas com as coisas de Deus, mas com as dos homens (8,33). As suas negações são contadas pormenorizadamente (14,66-72)". Se vê que Pedro não ocultava, na humildade, seus erros.


Padre Alcides Pinto da Silva atua na Obra Social São João Bosco, em Campinas
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home