Abril de 2015 - Estudar Marcos: Evangelho dos pormenores, dos diminutivos e das redundâncias

     Evangelho dos pormenores: Marcos gosta de pormenores, muitos dos quais são omitidos pelos outros evangelistas. Só 'para os primeiros seis capítulos de Mc, um comentador recente destacou 113 passagens em que Mc anota circunstâncias omitidas por Mt-Lc' (B.Rigaux).

     Exemplificando: Jesus dorme durante uma tempestade no Mar de Tiberíades sobre um travesseiro (cf. Mc 4,38=Mt 8,24); o cego vê homens caminhando como se fossem árvores (8,24); a relva verde na multiplicação dos pães (6,39)... Somente Mc diz que o nome do cego era Bartimeu (10,46); somente Mc diz que Jesus deu o nome de filhos trovão aos filhos de Zebedeu (3,17), etc.

     Também 'os números lhe são caros (36 vezes)' (B.Rigaux): Mc observa que são 4 homens que carregam o paralítico (2,3=Mt 9,2; Lc 5,18); que os porcos que se lançaram ao mar eram cerca de 2000 (5,13=Mt 8,32); que Jesus foi ter com os discípulos pela 3ª vez (14,41=Mt 26,45); etc.

     Evangelho dos diminutivos: como Mt esse evangelho fala em migalhas e cachorrinhos (7,27s=Mt 15,26s) e em peixinhos (8,7=Mt 15,34).Mas somente Mc falará da filhinha de Jairo (5,23), da filhinha da mulher siro-fenícia (7,25), da barquinha (3,9), das sandalhinhas (6,9), da pontinha da orelha do criado do sumo sacerdote (14,47)... Nesse ponto e noutros os tradutores nem sempre valorizam e respeitam o jeito de falar de Mc como está no texto original grego.

     Evangelho das redundâncias: são expressões cujo segundo elemento repete com outras palavras o primeiro, dando ao pensamento um colorido 'vivo e surpreendente'. Vejamos alguns exemplos: 'a lepra afastou-se dele (1º elemento) e ele ficou limpo'(2º elemento) em Mc 1,42; Jesus dirigindo-se ao mar: 'cala-te, acalma-te' em 4,39; 'para a tua casa, para os teus' (5,19); 'não há profeta sem honra a não ser na sua pátria, entre os seus parentes e na sua casa'(6,4); 'não entendeis e não compreendeis ainda?'(8,17); a pobre viúva 'deu tudo que possuía, tudo que tinha para viver' (12,44); 'Mestre, olha que pedras, que construções!' (13,1)...

     Não é interessante o estilo desse evangelista? Esses e outros fenômenos de linguagem constituem o encanto de Mc. Vale a pena lê-lo por inteiro, prestando atenção nesses elementos todos. Dão beleza e realçam a mensagem.

     Acabamos de celebrar a Páscoa. Pois bem: a luz da ressurreição iluminou fundo o trabalho de Mc, bem como dos outros evangelistas, sobre o chamado 'Jesus histórico', delineando para nós os traços ainda mais ricos  do que os estudiosos dos evangelhos chamam 'Cristo da fé', isto é, um Jesus interpretado após a Páscoa sob a ação vigorosa do Espírito Santo.

     A todos os leitores do EM FAMÍLIA, um grande voto de Shalom, que significa paz, saúde, bem, prosperidade – tudo isso junto! Porque essa é a saudação pascal com que Cristo saúda os seus discípulos cada vez que lhes aparece ressuscitado!”

Padre Alcides Pinto da Silva atua na Obra Social São João Bosco, em Campinas
 
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home