Outubro de 2019 - Cuidar dos idosos e jovens é cultura da esperança

O amor de Deus pelo seu povo não conhece "descarte": é grande, é como um fogo que nos torna mais humanos. Durante missa celebrada na Casa Santa Marta, em 30 de setembro, papa Francisco volta a destacar como, quer nas famílias como na sociedade, negligenciar crianças e idosos porque não são produtivos não é sinal da presença de Deus

     Quão forte é o amor de Deus por seu povo, mesmo que este o tenha abandonado, o tenha traído, tenha se esquecido Dele. Em Deus, há sempre um ardente amor do qual brota a promessa de salvação para cada um de nós. É desta forma que consigo compreender o que está escrito em Zacarias 8: "Eis o que diz o Senhor dos exércitos: consumo-me de ardente amor por Sião; estou animado em favor dela de uma violenta cólera. Assim fala o Senhor: eis que volto a Sião, venho residir em Jerusalém”. 

     O sinal da vida, o sinal do respeito pela vida, do amor pela vida, o sinal de fazer a vida crescer e este é o sinal da presença de Deus em nossas comunidades. O sinal da presença de Deus que faz um povo amadurecer quando há idosos. 

     Observe o que diz a profecia de Joel: “Vossos anciãos terão sonhos, vossos  jovens terão visões". Entre eles há uma troca recíproca, o que não acontece quando, pelo contrário, prevalece em nossa civilização a cultura do descarte, uma "ruína" que nos faz "enviar de volta ao remetente" as crianças que chegam ou nos faz adotar como "critério" fechar os idosos em asilos porque "não produzem"," porque impedem a vida normal".

     Quando um país envelhece e não há filhos,  não se vê carrinhos de nenê nas ruas, não se vê mulheres grávidas: "Um filho, melhor não ...". É quando se vê que em determinado país há mais aposentados do que trabalhadores. Isso é trágico! E quantos países hoje começam a viver esse inverno demográfico! E depois, quando os idosos são negligenciados perdemos – digamos isso sem vergonha - a tradição, a tradição que não é um museu de coisas velhas, é a garantia do futuro, é o suco das raízes que faz a árvore crescer e dar flores e frutos. É uma sociedade estéril para as duas partes, e assim acaba mal.

     A juventude se pode comprar! Hoje existem tantas empresas que a oferecem na forma de truques, cirurgia plástica e lifting, mas tudo sempre acaba no "ridículo".

     Velhos e jovens são a esperança de uma Nação, são a esperança da Igreja. Qual é então o coração da mensagem de Deus? Digo que a "cultura da esperança" representada exatamente por "velhos e jovens". São eles a certeza da sobrevivência de um país, de uma pátria, da Igreja.

     O amor de Deus é sempre semear amor e fazer o povo crescer. Não tem a cultura do descarte. Me perdoem, mas quando fizerem um exame de consciência, perguntem a si mesmo: como me comportei hoje com as crianças e com idosos? Isso nos ajuda muito. 

Papa Francisco
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home