Bom dia!           Domingo 22/10/2017     09:53
Cadastre seu e-mail e receba nossos informativos: Nome Email

Outubro de 2017 - O bom exemplo do ladrão na Cruz

     Jesus não foi crucificado sozinho. Dois ladrões ocuparam cruzes uma de cada lado dele. A princípio, ambos ridicularizaram Jesus (Marcos 15:29-32). Mas um deles evidentemente mudou de opinião. Apesar da história criminosa deste homem, ele se tornou um bom modelo por causa do seu arrependimento. Inicialmente, ele tinha se juntado às pessoas zombando de Jesus. Mas, acusado por sua consciência, mudou e começou a defender o Senhor. Frequentemente é difícil mudar, duro admitir um erro. É muito mais fácil continuar nos velhos hábitos e ser levado pela maré. Este ladrão mudou de direção e começou a nadar contra a corrente.

     Ele temia a Deus. Ele já estava sofrendo uma morte angustiosa, mas entendeu que havia castigos piores do que a crucificação. O próprio Jesus tinha dito, “não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei, antes, aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo” (Mateus 10:28). A ira divina não é satisfeita totalmente por sofrimentos que se experimenta na vida. O castigo eterno será bem pior do que qualquer dor física na terra (João 5:14; Hebreus 10:26-31).

     Ele confessou sua culpa - Admitiu que o sofrimento dele e do seu companheiro foi justo. Vivemos numa época em que as pessoas tendem a transferir a culpa. Precisamos dizer, “pequei”, sem acrescentar desculpas. Sempre que cometo um erro, a culpa é minha (1 Coríntios 10:13).

     Ele defendeu Jesus - Ele proclamou a inocência de Jesus. Ele reconheceu o escárnio como injusto e reprovou o outro ladrão. Muitos naquele tempo não estavam dispostos a se expor à rejeição por defender o Senhor (João 12:42-43). 

     Ele acreditou na realeza de Jesus, porque pediu-lhe que se lembrasse dele quando se tornasse rei. Que admirável foi ele ter reconhecido que Jesus seria exaltado justamente no momento de sua maior humilhação. Havia muitos que o tinham visto ressuscitar os mortos e não creram; este homem viu Jesus sendo morto e creu.

     Ele pediu misericórdia a Jesus. É difícil pedir socorro, porque não gostamos de nos humilhar e de admitir nossa necessidade. Jesus exaltará somente aqueles que se humilham e pedem sua ajuda. O bom exemplo deste ladrão mostra nossos próprios fracassos mais claramente. Somos tão bons como o ladrão arrependido?
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home