Bom dia!           Domingo 22/10/2017     09:56
Cadastre seu e-mail e receba nossos informativos: Nome Email

Outubro de 2017 - Caminhando com Cristo ao longo do ano litúrgico

     A Liturgia é uma grande educadora da nossa fé. A nossa fé, deixada a si própria, pode ir se transformando em um impulso cego, que mais e mais periga desaguar no fanatismo, ou se estagnar num fundamentalismo, refém de uns tantos pontos que se vão tornando obsessivos.

     Então a Liturgia vai estabelecendo um roteiro através do ano litúrgico que nos leva a ir caminhando com Cristo, abraçando a integralidade do mistério revelado. Umas passagens das Escrituras são mais conhecidas, outras são mais palatáveis. Outras soam estranhas. Outras agridem a nossa tendência ao comodismo. É assim que vamos caminhando, é assim que vamos crescendo.

     No 27º Domingo do Tempo Comum o Evangelho proclamado na Liturgia narra a parábola do senhor da vinha que mandou enviados aos trabalhadores para lhe prestarem contas, mas os trabalhadores os maltrataram para ficarem eles como proprietários da vinha.  Diferente do senhor, eles não tinham carinho para com a vinha. Queriam apenas ser os proprietários.
Deus para conosco é como o  dono da vinha. Tem cuidados, tem carinho, tem xodó. Ele cuida e ama.

     No 28º Domingo, o Evangelho nos traz a parábola do senhor que convidou as pessoas para o casamento do filho. Uns não aceitaram o convite. O senhor não se apoquentou: mandou convidar a outros, por mais indignos que pudessem parecer. Mas teve também um cara-dura que entrou na festa mas sem a veste de convidado. Gente que quer sempre fazer tudo da sua cabeça, do seu jeito, gente que sempre quer estar por cima, enganando a todo mundo. Com esse o senhor foi duro: mandou jogá-lo para fora.

     No 29º Domingo do Tempo Comum o Evangelho nos mostra Cristo dizendo que devemos dar a César o que é de César e a Deus o que é de Deus. É natural que os nossos interesses seriam de dar um jeito de sonegar o que é de César, tentar enganá-lo. Mas Jesus é mais sábio, e aprendeu da História que a vingança dos poderosos é muitas vezes irresistível, e não convém provocá-la. Portanto, é um mal menor obedecer. 

     No 30º Domingo do Tempo Comum a Liturgia nos apresenta no Evangelho o debate entre Jesus e os doutores da Lei sobre qual é o maior mandamento. E Jesus vence o debate colocando como o maior mandamento o amor, o amor a Deus e ao próximo. Mandamento não é uma lista de obrigações insípidas a serem cumpridas em série, nem uma série de coisas das quais procuramos nos livrar o mais rápido possível. Mas os mandamentos são um caminho que deve nos levar ao amor. São como placas de sinalização que nos vão indicando o caminho certo e seguro para o amor, para a felicidade.

Padre Assis Moser, sdb.
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home