Boa noite!           Quinta 14/12/2017     04:21
Cadastre seu e-mail e receba nossos informativos: Nome Email

Dezembro de 2017 - A mulher de Apocalipse 12 - Um exemplo de análise

     Trataremos nesta última apresentação de 2017 de uma das ‘páginas mais célebres do Apocalipse’ (G.Ravasi), situada no início de uma série de 03 chamados ‘sinais’ (12,1: ‘um sinal grandioso’; 12,3:’outro sinal’; e 15,1: ‘um outro sinal grande e admirável’). Fixar-nos-emos nos dois primeiros, procurando decodificar os símbolos utilizados pelo autor sagrado:

     Um sinal grandioso: ‘sinal’ indica aqui um ‘quadro maravilhoso’, cujo significado precisa ser aprofundado.

     Apareceu no céu: ‘céu’ é um simbolismo cósmico que indica a transcendência de Deus, mas algumas vezes pode significar também, realisticamente, o firmamento.

     Uma mulher: a ‘mulher’ é, em geral, símbolo de nação, povo, cidade. Aqui é o povo de Deus que gera o Messias esperado. 

     Vestida de sol: o ‘sol’ é no Apocalipse “a criatura física predileta de Deus”; com ele é comparado o rosto de Cristo (1,16), a face de um anjo (10,1). Em 12,1 a mulher “está revestida do melhor que Deus tem”(U.Vanni).

     Tendo a lua debaixo dos pés: quer dizer que a mulher domina “o passar do tempo, o alternar-se das várias estações, dos vários meses lunares”, em suma: o calendário lunar vigente. Ter debaixo dos pés é submeter.

     Coroa de 12 estrelas: o número 12 é simbolismo numérico e indica o povo de Deus. Aqui aponta para as 12 tribos do AT e os 12 apóstolos no NT. A luz das 12 estrelas, que é menor que a do sol, simboliza mais provavelmente o testemunho dos 12 apóstolos.

     Grita em dores de parto: A chegada de uma nova era é comparada com um parto (Is 66, 7-14), ordinariamente acompanhado de dores violentas (Is 26,17; cf. Jo 16,21). A era escatológica, final, começa com o nascimento do Messias.

     Grande dragão vermelho: é satã- satanás-diabo, a antiga serpente (12,9).

     07 cabeças: indica o poder pleno do dragão, que pode estar relacionado com as 07 colinas da Roma perseguidora.

     10 chifres: sua força bastante grande, mas não enorme.

     07 diademas: total soberania sobre os reinos deste mundo (cf. Lc 4,6; Jo 12,31...).

     O dragão pôs-se diante da mulher: eco da condenação inicial de Gen 3,14-15). É um desafio.

     A sua cauda arrastava a terça parte das estrelas: “Alusão à queda dos anjos maus, arrastados por satanás”(BJ).

     Ela deu à luz um filho homem...foi levado para junto de Deus: não se trata aqui de seu nascimento em Belém; é referência à ressurreição-ascensão. As  dores do parto são as do Calvário.

     A mulher fugiu para o deserto: o deserto era o refúgio tradicional dos oprimidos de Israel (1Rs 19,3-7; 1Mac 2,29s).

     Para se alimentar: como foi para Israel (Ex 16) e Elias (1Rs 17,2-6; 19,58).

     Por 1260 dias: em outras passagens encontramos 42 meses e 3 anos e meio. Todos se equivalem e significam o tempo limitado da perseguição. O número 1260 dias sublinha que a perseguição é sentida diariamente.

     FELIZ NATAL!


Padre Alcides Pinto da Silva atua na Obra Social São João Bosco, em Campinas

______________________________________________________________________________

“Estudar Apocalipse” encerra um ciclo

     Há oito anos ininterruptos, mês após mês, padre Alcides Pinto da Silva, vem compartilhando fielmente o seu conhecimento bíblico na coluna Estudar Apocalipse, no Em Família. Porém, a partir de 2018, em virtude de compromissos assumidos junto à Inspetoria de São Paulo, na última edição de 2017 ele se despede dos leitores para assumir outras responsabilidades. Que ele continue abençoando a muitas outras pessoas e também seja graciosamente abençoado por Deus.

     A equipe do
Em Família agradece todo o carinho e dedicação manifestos em quase uma década de colaboração voluntária.
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home