Bom dia!           Domingo 23/09/2018     07:07

Setembro de 2018 - Vinde, adoremos com os Anjos

     A adoração é o primeiro ato da virtude da religião. Adorar a Deus é reconhecê-Lo como Deus, como o Criador e Salvador, o Senhor e Dono de tudo o que existe, amor infinito e misericordioso. "Adorarás o Senhor, teu Deus, e só a Ele prestarás culto", está escrito em Lucas 4,8. 

     A adoração é a primeira atitude do homem que se reconhece criatura diante de seu Criador. Exalta a grandeza do Senhor e a onipotência do Salvador que liberta do mal.  A adoração do Deus três vezes santo e sumamente amável, nos enche de humildade. Desde a Encarnação até a Ascensão, a vida do Verbo Encarnado é cercada da adoração e do serviço dos Anjos. Quando Deus enviou seu Filho ao mundo, disse: “Adorem-no todos os anjos de Deus” (Hb 1,6). Quando Jesus nasceu, eles prorromperam num hino de louvor: "Glória a Deus..." (Lc 2,14), protegeram a infância de Jesus, serviram-no no deserto e reconfortam-no na agonia.  Evocar e glorificar na fé e na adoração o Mistério transcendente de Deus, de sua beleza excelsa e invisível, da verdade e do amor revelada em Cristo, é deixar transparecer o "esplendor de sua glória, expressão de seu Ser" (Hb 1,3).  

     Na Quinta-Feira Santa, Jesus na Ceia com os apóstolos, sabendo que estava prestes a partir, nos presenteou deixando-nos Seu corpo e Sangue  vivos  como fonte de vida eterna  e para que, em cada Ceia Eucarística  que se repete a cada missa, o pão e o vinho possa  ser  transubstanciado  em Corpo e Sangue do Senhor, Jesus  deixou-nos   o sacerdote como  representante Seu. Todos podem buscá-Lo e adorá-Lo no Sacrário, pois Ele é o nosso refúgio e salvação, porém estejamos atentos ao entrar nos átrios de Deus, pois, devemos estar conscientes de que "o Senhor está vivo no Sacrário ". Este pensamento deve despertar na alma humana uma disposição mística, uma exaltação íntima pressentindo a presença do Senhor. Devemos prostra-nos diante d’Ele, não necessariamente com o corpo dobrado sobre os joelhos, porém é imperativo que o coração se abra de par em par à penetrante e santificadora influência do Espírito Santo. Entre, como se o assoalho lá dentro fosse de ouro e cada parede fosse composta de joias de incalculável valor, como se ouvisse um coro de anjos a cantar melodias de louvor e glória ao Eterno Pai. Penetremos, pois, nos átrios do Senhor, com grande Espírito de amor e humildade.

     Na Paróquia São João Bosco, todas às quintas-feiras, às 16 horas, um grupo se reúne para a adoração ao Santíssimo. Participe.


Colaboração: Izabel Dadalto Armani

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home